17.ª
Peregrinação a Fátima
29 e 30 de abril e 1 de maio
Da Família de Schoenstatt

  • "A peregrinação das famílias de Schoenstatt é uma experiencia inesquecível. Foi a primeira vez que fiz uma peregrinação com tantas pessoas mas ao mesmo tempo com um espirito muito familiar e muito próximo, onde há tempo para rezar, para conversar, para cantar ou simplesmente para andar. Saímos de Lisboa por uns dias, saímos das correrias do dia a dia, e através de caminhos por sítios espetaculares, das missas, dos testemunhos e das propostas oração pudemos estar com Jesus e com Maria e perceber melhor como podemos ser Santuários vivos. Obrigada à equipa organizadora, aos chefes e a todos os peregrinos!"

    Teresa, 24 anos

  • "Já tivemos a alegria de fazer 4 ou 5 peregrinações das Famílias. São 3 dias em que entregamos todo o nosso tempo a Nossa Senhora: tempo para andar, descansar, comer e dormir, tempo para rezar, tempo para fazer silêncio, tempo para rir e para chorar, tempo para ser Igreja, tempo para doer os pés e conhecer músculos que não sabíamos que tínhamos, tempo para falar e para ouvir, tempo para ajudar e ser ajudado, tempo para sentir o Espírito Santo, tempo para pensar em nós, nos filhos e nos outros. É tempo para fazer Encontro. Três dias para dar a Deus uma das coisas mais valiosas que temos: o nosso tempo!"

    Mizinha e Manel, 48 e 51 anos

  • "A Peregrinação de Schoenstatt para mim é um caminho lindo, em que todos temos o mesmo objetivo. É altura para refletir, tempo que dedicamos a Deus, alimento da minha Fé, recarregamento de energias."

    Madalena, 23 anos

  • "É um momento de encontro especial com Deus, onde ele nos surpreende e nos cativa em momentos profundos de oração, por conversas inesperadas com pessoas de quem pouco ou nada sabíamos, pela beleza revigorante e inspiradora da natureza, ou mesmo nas bolhas que nos relembram da nossa fragilidade humana. É uma verdadeira vivência de família, onde avós, pais e filhos, se revelam naquilo que têm de melhor, e se surpreendem mutuamente, e onde todos, a caminho do santuário da nossa Mãe do Céu, crescem no amor a Jesus."

    Raquel e Marcos, 32 e 36 anos

  • "A peregrinação é para mim um tempo de partilha, oração, alegria e de encontro com Deus. O que marca mais é que este caminho não é feito sozinho, mas como família de Schoenstatt. Pessoas de várias idades, com diferentes vidas e de diferentes pontos do país unidos no amor a Nossa Senhora. Quando vejo 500 pessoas a andar, faz-me lembrar aquela comunidade que fugiu do Egipto rumo à liberdade, e penso que nós também caminhamos em direção à liberdade que o P. Kentenich fala que é a liberdade interior, firmeza de convicções e ideais. Este é um tempo em que Nossa Senhora me ensina sempre a ser mais família e a dar-me mais aos outros."

    João, 24 anos

  • "É! Pareço profissional de ir a pé a Fátima... Já vou há muitos anos...vou desde a primeira peregrinação! Parece, mas não é vício. É Amor! Foi o caminho de Fátima que me trouxe ao Movimento. Tenho uma gaveta com a roupa de peregrina. Quando chega a hora, é só abri-la, fazer o saco, largar o coração ao amor de Deus, consagrar-me a Nossa Senhora, consagrar os meus... e partir! Comecei nova, sem dificuldade física... sem bolhas nos pés... sem dores nas subidas... Agora, com o passar dos anos no meu corpo, olho e vejo cabelo branco, dores nos pés e nas pernas, ofegante nas subidas... enfim... aproveito para fazer penitência. Sim, penitência... a dormir no chão, a tomar banho em balneário, a não beber água depois de uma subida, afinal não foi o que Nossa Senhora pediu em Fátima? Fazer estes caminhos de Fátima em família com a família de Schoenstatt, é um presente do Céu. Cada vez que venho de uma peregrinação, acho que foi a melhor. Repito vezes sem conta “Foi esta a melhor... mas foi mesmo esta a melhor!”. Tenho encontro marcado com Ela... caminhando todos os anos... até Fátima!"

    Teresa

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
Este site utiliza cookies. Continuando a navegar está automaticamente a autorizar os mesmos. Continuar